quarta-feira, 25 de maio de 2016

Wearables: Uma tendência sem volta

Salve nerdaiada !!! Tudo bem?

Vamos começar esse post da forma mais previsível possível, com a definição de Weareble pela Wikipedia Brasileira:

"O termo “computação vestível” ou "tecnologia vestível" se refere a uma nova abordagem de computação, redefinindo a interação humano-máquina, onde os gadgets estão diretamente conectados com usuário, em termos gerais, o usuário estaria “vestindo seu gadget”. Os aparelhos vestíveis tem a intenção de tornar o usuário o mais “passivo” possível, focando no próprio ser humano e nas suas necessidades. Computação Vestível é freqüentemente relacionada com a Internet das Coisas. O mercado de computação 'vestível' deve alcançar US$ 19 bilhões em 2018..."


Pois bem... vamos falar especificamente de um segmento de wearable: eu comprei um smartwatch, mas especificamente um relógio da Pebble. Aí você fala: "Nossa, você comprou um relógio para ficar conectado direto na internet ? justo você que meteu o pau nessas coisas ?"

Sim, eu mesmo... comprei e digo: Foi a melhor compra de gadgets que fiz nos últimos 5 anos talvez. Para quem não sabe, eu sou uma pessoa que gosta muito de relogios, tenho mais de uma dezena.

E o que me levou a comprar um smartwatch e especificamente da marca Pebble ? Alguns fatores. Um deles foi que até hoje é a campanha de maior sucesso no kickstarter. Eles tinham como meta $500,000 e arrecadaram nada mais nada menos do que $20,338,986, isso mesmo que você está lendo, 40.67 vezes a mais do que pediram.



Eu acompanhei a época desse financiamento e meu cu caiu da bunda meu queixo caiu. Depois que foram entregue os relógios eu acompanhei os reviews no youtube, as opiniões, queixas e etc e deixei ele em um segundo plano... mas no radar.

Mas chegou um dia que eu estava em NY (me julguem) e vi um cara pagando o café com o relógio, sem colocar a mão em dinheiro ou mostrar o telefone no leitor da loja e pensei "que legal isso" e fui pesquisar quais dispositivos suportavam isso, porque achei muito interessante a ideia. E para a minha surpresa, oficialmente apenas o Apple Watch e o Samsung Gear tinham o aplicativo da Starbucks e os dois aparelhos são MUITO caros para meu bolso. Porém toda via entretanto um desenvolvedor fez um aplicativo que rodava em praticamente qualquer dispositivo que tivesse uma tela e conseguisse exibir um código de barras e entre eles estava o Pebble.

"Mas Julio, comprou um smartwatch para comprar café ?" hummmmmmmm... digamos que ajudou, mas voltei a pesquisar sobre o Pebble e vi que adicionaram uma dezena de funções nele com atualização do software que fizeram o bichinho do consumismo gritar novamente na minha cabeça.

Entre os aplicativos que mais me chamaram a atenção foram o controlador de sono, controlador de exercícios (já que sou um cara semi saudável agora) e o aplicativo da Über para o cara. E enquanto eu pesquisava sobre o relógio mais profundamente, meu amigo Israel Nobre - @IzzyNobre , comprou o Pebble Time Steel e fez o seguinte video:


Tem um review que ele fez também no HBDia.com

Ele conseguiu resumir bem e de uma forma bem clara o que o aparelho fazia e qual era a necessidade dele ao procurar um smartwatch e casava muito com o que EU estava procurando. Aí eu fiquei doido. Chamei ele no telegram, perguntei se realmente era tudo aquilo que ele falava e ele conseguiu me convencer mais ainda :)

Aí começou a minha saga de correr atrás para comprar um. No site oficial, que entregam no Brasil, o valor era de $149,99. Um valor até que baixo se comparado com um Apple Watch ou um Samsung Gear 2, mas tinha o problema da nossa amada e idolatrada Receita Federal, que está taxando até envelope vazio, resolvi procurar pelo mercado livre ou pedir para alguém trazer de fora para mim quando viajar.

Fui para a opção de comprar no ML, porque eu estava vendendo um 3DS XL no ML e com o dinheiro da venda pagaria uma parte considerável do aparelho comprado em terras tupiniquins. E foi o que aconteceu, achei um cara que não curtiu o relógio e estava vendendo até que relativamente barato e com uma pulseira de metal a mais. Tudo em perfeitas condições, caixas e manuais.

Pebble Time Steel comprado no ML



Foi um "sucesso", estava usando o iPhone na época ainda e muitas das funções do relógio não funcionaram por causa da limitação da nossa querida Apple. Mas isso foi resolvido quando troquei de celular.

E digo para vocês o seguinte: Depois que comecei a usar o relógio eu deixei de lado algumas manias que me irritavam e irritavam algumas pessoas. E adivinha qual é a pior delas ? Isso mesmo, ficar toda hora puxando o celular do bolso para ver qual notificação chegou ou se teve alguma notificação que não percebi.

Com o Pebble, eu deixo o meu celular no não perturbe 24hrs por dia, muitas vezes dentro da mochila, no bolso da calça ou carregando dentro da gaveta em casa, porque eu configurei as notificações para apenas aquelas que eu realmente acho importantes e que eu preciso ver quando elas chegam, como ligações, mensagem do chefe, da patroa, nudes algumas mensagens do whatsapp/telegram e por aí vai. Só o fato de eu nao ficar o tempo todo com o celular na mesa durante um almoço ou o jantar com a patroa, já fizeram eu escapar de algumas broncas :)

Uma função que tenho usado muito é a função "health"do aparelho, onde ele me mostra a minha atividade física diária, a distancia percorrida e o que mais me impressionou e que estou gostando: horas e qualidade do meu sono.

Horas de sono

Passos diários
Hoje por exemplo, fui dormir tarde e acordei muito cedo, o relógio já joga na cara que estou sonolento.

Sonolento ? sim, estou

E tudo isso ele sincroniza com o Google Fit, que me mostra mais diversos itens que eu nem imaginava que eu estava fazendo de errado ou certo. Um serviço incrível... mande os parabéns para o povo que desenvolveu isso +Eri Bastos :-D

Outra função incrível é o despertador silencioso e inteligente dele. Você acordar com uma vibração no pulso é muito mais agradável do que um barulho chato de celular ou de despertador normal, além de não acordar a patroa quando acordo cedo para ir andar de skate aos finais de semana por exemplo.

Aí vocês podem estar se perguntando: Ué, o relógio quadrado se transformou em um redondo ? SIM... viajei a trabalho para Orlando, fui em uma BestBuy para comprar pulseiras adicionais para o Pebble Time Steel e acabei saindo de lá sem a pulseira, mas com um Pebble Time Round, ultimo modelo da Pebble. Muito mais fino, rápido e leve.




Quer dizer "ultimo modelo né", demorei tanto para terminar esse post que ontem, dia 24/05/2016, a Pebble lançou no kickstarter dois novos modelos que foram financiados em menos de 1 hora. Um milhão em menos de uma hora.


E já está em 6 milhões de dólares... tem tudo para bater a primeira versão que chegou a 20. As diferenças desse modelo novo estão me fazendo coçar o dedo em comprar mais um relógio e mais desejada é a função de monitoramento cardíaco em tempo real, coisa que nos modelos atuais só é possível através de um addon vendido a parte por uma empresa terceira. Vamos ver se consigo resistir (duvido) a esse novo modelo do relógio :)

Uma dica que dou é: compre um smartwatch ou uma smartband, não precisa ter as frescuras do Apple Watch ou do Samsung Gear. O Pebble ou um FitBit já é MUITO bom e os dois tem praticamente as mesmas funções (fitbit já tem monitor cardíaco), você vai conseguir fazer coisas e ter um pouco mais de qualidade de vida que você nem imaginava.

Links uteis:

Pebble.com
Kickstarter do novo Pebble 2 e Pebble Time 2
Relogios da Fitbit
Lista dos melhores aplicativos para o Pebble
Review que o Izzy fez no HBDia.com



domingo, 8 de maio de 2016

Mudança de ecossistema



Fala nerdaiada !!! Tudo bem ? Hoje gostaria de compartilhar com vocês uma mudança grande que passei nos últimos 45 dias. Mudei totalmente meu eco sistema tecnológico pessoal, mais conhecido como celular + contatos + agendas. Eu mudei para o Android !

Calma, não corram para as montanhas ainda, a mudança foi de livre e espontânea vontade... cansei do iPhone.

Eu tenho um iPhone 5, que comprei em 2013 e é um aparelho fantástico, não tinha o que reclamar do aparelho até a apple lançar a atualização para o iOS 9, nao tinha, porque o aparelho ficou simplesmente um lixo. A bateria que durava pelo menos 1 dia inteiro, nao conseguia ficar 4 horas ligado direto que ja alertava bateria baixa. A famosa morte programada dos hardwares da apple.

Pois bem... como utilizava iPhone desde o 3 e passei pelo 4, 4s e o 5, nada mais natural do que comprar o 6 ou o 6s. Tive a oportunidade de fucar em um 6s e diferente de algumas pessoas, achei a tela grande dele bem confortavel e muito util... estava disposto a pegar ele por causa da tela grande. Mas ai veio a porrada no queixo: PRECO... R$ 3.600 reais em um telefone ?? mas nem se eu fosse rico, ate porque rico gosta mesmo e' de economizar dinheiro, por isso que e' rico :)

Ai pensei: Por que nao um telefone android ? E pensei tambem: E se comprar um android e nao gostar ? vou ter jogado dinheiro fora.

Meu medo vem de uma experiencia nao muito agradavel com o unico telefone android que eu utilizei. Um motorola razr d3 que a Folha tinha me cedido como telefone de trabalho. UM LIXO de aparelho.




Como na atual empresa que trablho tenho direito de pegar um aparelho telefonico, resolvi solicitar um para usar o chip SIM que eu ja utilizava no meu iphone. Me deram um Sony Xperia M2 Aqua



Eu ja havia utilizado celulares da Sony na epoca da ericsson (http://sysadmday.blogspot.com.br/2009/01/o-que-voc-procura-quando-escolhe-um.html) e sempre gostei da qualidade dos aparelhos, poderia ser uma boa experiencia... e foi.

O hardware do aparelho e' muito bom, a camera muito boa e a atualizacao do Android para o 4.4.4 foi feita sem problemas com o aplicativo da Sony. Fiquei 1 mes utilizando o aparelho ate que me pediram ele para ceder para uma outra pessoa da empresa (OK...).

Como ja tinha gostado do android, resolvi que iria comprar um aparelho nao tao caro quando o Xperia, mas queria um aparelho que fosse tao bom ou melhor de performance. Procurando videos no Youtube, vendo reviews, lendo reviews, pegando opiniao em foruns decidi que iria pegar um Motorola... sim da mesma marca que havia achado um lixo na minha primeira experiencia.

Estava em duvida em comprar um Moto X 2 e um Moto X Play

Moto X2:

Moto X Play:

Optei por pegar o Moto X play, por ter uma tela maior... igual a que eu tinha gostado do iPhone 6s, por ter 32gb de memoria interna expansivel, ter uma bateria de 3800mha e ser dual SIM.

Estou com ele tem 2 meses e estou curtindo muito o aparelho e o android Marshmallow esta espetacular.

E acho que nao volto para o mundo do iOS mais viu, a nao ser que eles me deem uma liberdade tao grande quanto o android tem me proporcionado nesses ultimos meses e que o preco dos telefones iOS caiam para o mesmo patamar dos celulares com android.

E acho que com esse post, nasce mais um fanboy do robozinho :D :D :D

sexta-feira, 25 de março de 2016

VMware ESXi - Como quebrar a senha de root



Salve salve nerdaiada maldita :D :D :D

Sabe quando você chega na nova empresa e começa a levantar tudo o que existe de infraestrutura?

Sabe quando você espera que a pessoa que você substitui seja uma pessoa idônea e profissional?

Então... Tive um pequeno problema com o segundo item e tive que me virar nos 30 para conseguir o controle de 6 servidores ESXi que não estavam no VCenter. Pois bem, pesquisa daqui, pesquisa de lá, achei um documento que falava que para quebrar a senha do ESXi, você precisaria ou reinstalar o SO, mantendo a partição das VMs ou então alterar o shadow dentro do /etc do SO.

Como reinstalar tudo traria um risco enorme de perder configurações, servidores que não tinha conhecimento que existia e etc, resolvi que alterar a senha direto no shadow do sistema seria a opção mais viável e menos perigosa... em termos.

Pesquisei mais ainda sobre como é o funcionamento do SO da VMware que tanto amamos e descobri que todos os arquivos cruciais para o sistema - /etc, /bin, /usr ficam COMPACTADOS dentro de partições específicas do VMware e teria que descompactar o arquivo e compactar novamente para funcionar a alteração, MAS com devido cuidado de não alterar nada de permissão ou algo do gênero para não destroir o servidor.

Abaixo segue as instruções de como quebrar a senha do VMware ESXi 4.x e 5.x. Não testei no 6, mas deve ser no mesmo procedimento.

Primeiro passo: 
Ter um Live CD de algum linux, eu utilizei do Ubuntu. Dê boot no servidor e inicie o live CD. Ao finalizar a carga, abra o gparted, por um terminal ou direto pelo menu do ubuntu.




Segundo passo:
Em todos os ESXi que precisei fazer esse procedimento, precisei montar o /dev/sda5. Partição aonde está o shadow, que precisamos alterar. Monte a partição no /mnt ou em qualquer outra pasta de sua escolha com o mount.

root@ubuntu :/tmp# mount /dev/sda5 /mnt




Terceiro Passo
Após montar a partição, verifique os arquivos existentes. Você vai precisar de um arquivo chamado state.tgz. Ao localizar ele, copie para o /tmp ou qualquer outro diretório de sua preferência.


Descompacte o state.tgz dentro do /tmp. Ira aparecer um arquivo chamado local.tgz, descompacte esse arquivo também.

root@ubuntu :/tmp# tar zcvf state.tgz

root@ubuntu :/tmp# tar zcvf local.tgz

Quarto passo
Após descompactar, irá aparecer a pasta etc dentro do /tmp. Entre nessa pasta e edite o arquivo "shadow"


  

Apague o hash da senha da linha do root. É o conteúdo entre o primeiro e o segundo ":"

Antes:
root:$6$FT.js0st$VLJ6c7ckDgwf1LncCHEQwdznOo.4Sxz/yqfMtTfDSi3JV.UeLwynQyicNYNr32wHRd6wkAym9SAZGSgqcAlmQ/:16885:0:99999:7:::
Depois:
root::16885:0:99999:7:::

Salve o arquivo.


Quinto passo
Agora que vem o mais "complicado". Precisamos reempacotar o shadow para dentro do arquivo original tgz. Eu testei algumas formas de compactação e consegui ter exito em apenas um modo... o mais simples possível existente.
Saia do diretório etc que você está e primeiro recompacte o "etc" para o arquivo local.tgz e logo em seguida compacte o local.tgz em state.tgz.

root@ubuntu :/tmp# tar czf local.tgz etc

root@ubuntu :/tmp# tar czf state.tgz local.tgz

Feito isso, copie o arquivo state.tgz para dentro do /mnt (/dev/sda5) e reinicie o servidor.

root@ubuntu :/tmp# cp state.tgz /mnt

root@ubuntu :/tmp# init 6


Na tela de login do esxi, digite o usuario "root" e deixa a senha em branco. Bingo, acesso ao console do esxi feito. Agora altere a senha de root, recadastre no vcenter (se for o caso) e suba as maquinas virtuais normalmente, pois com esse procedimento ele não inicia as VMs do servidor automaticamente, mesmo que estejam para subir automaticamente. 

E fica a dica: Nunca centralizar as senhas dos seus servidores em apenas uma pessoa. Compartilhe a senha com seu superior, alguem de sua equipe ou o melhor de tudo, em um centralizador de logins, como Active Directory ou OpenLdap.

segunda-feira, 14 de março de 2016

Desacelerando a vida



Salve salve nerdaiada maldita :D :D :D

Você não está tendo alucinações, sim esse blog está sendo atualizado e quem sabe teremos uma periodicidade constante...

Desde o ultimo post desse blog em agosto de 2014, muita coisa mudou. A economia mudou, a tecnologia mudou, eu mudei, meus conceitos também mudaram. Algumas coisas mudaram para melhor, outras para pior, mas o que importa realmente é que estamos de pé e vivendo uma nova fase.

Em Novembro de 2015 fui liberto de algumas correntes que me trouxeram uma outra forma de ver o nosso mercado de TI. Para quem não sabe, "eu saí" do jornal que “não dá para não ler” - mentira, dava sim para ficar sem ler - e mudei para uma empresa que não tem nada a ver com o mercado mídia.

Desde a época do Estadão (local onde jamais eu deveria ter saído) eu vinha pensando em trabalhar em algo que desse mais tempo para mim, para minha família e menos stress no dia-a-dia, mas estava complicado de achar algo que valesse a pena, financeiramente falando.

Quis o destino me desligar da Folha e em menos de 24 horas já estar empregado em outro lugar. Um lugar totalmente oposto ao que vinha trabalhando desde 2007, exatamente o que eu queria achar :-)

Estou enfrentando novos desafios nesse novo lugar. Ainda continuo sendo coordenador da equipe de infraestrutura, mas essa agora abrange tanto servidores Linux e Windows como PABX, algo totalmente novo para mim, afinal windows eu só usava para jogar e telefone para ligar… e olhe lá. Estou aprendendo muito sobre essas duas novas plataformas que eu nunca trabalhei e cheguei a conclusão que não trabalhar com “clique de mouse” e telefonia no passado foi a melhor escolha feita hehehehe.

Mas o que tem me deixado mais contente é o fato de o ambiente sem bem mais sossegado e controlável do que um ambiente grande como dos 2 jornais que trabalhei anteriormente. Comentando isso com meu irmão ele me fez uma pergunta:

“Mas é você que está acelerado demais ou a empresa que é devagar ? Eu acho que você que está vindo de lugares em que a resposta para as coisas precisava vir antes das perguntas”

Parei para pensar e cheguei a conclusão que ele está totalmente correto. Não é a empresa que tem um ritmo mais lento do que as outras. Ela tem um ritmo de trabalho NORMAL, como qualquer outro lugar NORMAL para se trabalhar. 

Estou conseguindo finalizar projetos, coisa que poucas vezes consegui fazer de ponta a ponta devido a correria do dia-a-dia ou devido a pessoas que falavam “tem que ser do meu jeito, porque é o jeito certo de se fazer”. Consegui trazer uma qualidade de vida melhor para mim, consigo sair para almoçar todos os dias no mesmo horário, não tenho que atender telefone todos os finais de semana porque não acharam o plantonista da equipe ou para responder perguntar idiotas. 

Não tenho que aturar 50 pessoas com ego inflado porque escrevem (com diversos erros de HORTOGRAFIA) para os maiores jornais do país. 

Voltei a trabalhar com pessoas que posso considerar mais do que amigos, afinal uma boa parte da equipe do estadão está trabalhando aqui e eles sabem separar o pessoal do profissional, sem misturar alho com bugalho.

Consegui até voltar a fazer um esporte. Depois de 18 anos sem subir em um skate, comprei um longboard e aos finais de semana eu consigo andar sem ficar preocupado se o telefone irá tocar, pedindo coisas não previstas e de ultima hora

O engraçado de estar falando isso é que o ultimo post desse blog foi “Quer ser um sysadmin ? Leia isso antes”, aonde a imagem mostra que se você quer ser um sysadmin você tem que:
  • escolher não ter vida
  • escolher não ter família
  • escolher não ter amigos
  • escolher não dormir
Pois bem, eu escolhi ter vida agora. Já coloquei minha família e minha saúde como prioridade e se não gostar, paciência, o mercado está cheio de gente disposta a se sacrificar “pela vida dos outros”.