segunda-feira, 23 de março de 2009

Por que a IBM deve comprar a Sun

Eu ia escrever um texto sobre essa possível compra, mas encontrei um texto no sute da IDGNow que está falando tudo... sem tirar e nem por. Segue texto abaixo:

Java, Solaris, Sparc, ZFS e muito mais - por décadas, a Sun Microsystems foi um motor de inovação. Seus poderosos servidores baseados em RISC foram a base de muito da Internet e a companhia, em seu auge, foi um desafiante de peso contra a Microsoft.

No entanto, sem um cavalheiro branco ou uma milagrosa recuperação econômica, a Sun - com problemas financeiros por boa parte da última década - vai encolher para se tornar um fornecedor de nicho insignificante. Agora, com o interesse de compra pela IBM, a negociação pode ser algo muito positivo para a cultura de inovação da Sun e para comunidade de tecnologia.

P&D: a diferença da Sun
Não sou fã de grandes fusões entre fornecedores de tecnologia. As aquisições da DEC pela Compaq e subseqüente compra da Compaq pela HP - entre outras - mostram que ainda que fusões e aquisições sejam muito interessantes para os bancos, frequentemente resultam em cortes em massa de empregos, reduz a competição e a inovação. Esta, contudo, é diferente.

Ao contrário da Compaq, que provavelmente teria sobrevivido sozinha, a Sun não pode. Uma das razões (e existem muitas outras): Sun está com problemas - e um bom motivo para torcer pela sua sobrevivência - é o seu grande orçamento em pesquisa e desenvolvimento (P&D). Ainda que outras empresas tenham cortado recursos em P&D, a Sun não fez isso; ainda gasta 3 bilhões de dólares por ano. O valor sete vezes maior do que o lucro da empresa no ano passado, de 403 milhões de dólares, e 22% da receita.

IBM, claro, também gasta muito com P&D - 6 bilhões de dólares por ano. Acredito que haverá redução nestes valores após o negocio, mas os orçamentos combinados ainda serão gigantescos e vão gerar inovação.

É evidente que a maior razão para a queda da Sun é a commoditization do mercado de servidor. Os baratos, mas poderosos servidores x86, dominam. A Sun tem um pedaço do mercado, mas não é grande o bastante e as margens são apertadas.

É provável que não seja coincidência que a proposta de 6,5 bilhões de dólares, que está sendo discutida a tempos, chegue concomitante a entrada da Cisco em servidores. Eu não estou convencido que o produto da Cisco vá mudar o mercado, mas também não vai ajudar a Sun, que não pode suportar perder mais participação de mercado.

Se combinadas, as duas empresas têm 42% do mercado de servidores e 65% de market share de sistemas Unix. Este fator deve criar um problema de formação de truste.

Oportunidades na nuvem
A Sun recentemente entrou em cloud computing com planos de oferecer capacidade computacional e serviços de storage sobre tecnologia Sun, como OpenSolaris e MySQL. Já a IBM vai em linha diferente, construindo a infraestrutura para computações em nuvem, mas sem oferecer para hospedar a nuvem.

A tentativa da Sun é interessante, mas falta a força financeira para superar o EC2 da Amazon. Se a IBM se envolver, este problema acaba e poderemos ver uma competição vibrante na nuvem - outro ponto positivo para TI.

O MySQL, na verdade, foi uma compra cara que não gerou muito. Somado com o DB2, a Big Blue terá uma oferta mais interessante em sua batalha de banco de dados com a Oracle e, mais importante, manteria aquela tecnologia viva e crescendo.

Se existe um lado negativo, está nos funcionários da Sun. As duas culturas são reconhecidamente diferentes: Você imagina um CEO da IBM com rabo de cavalo?

De qualquer maneira, é possível que poucos funcionários da Sun mantenham seus empregos se a companhia continuar independente - e continuar a encolher. Os acionistas da Sun vão ganhar com a proposta de 10 dólares por ação, mais do que o dobro que os papéis da empresa valiam antes da divulgação do interesse.

E, para o mercado de TI, a indústria tem muito mais a ganhar se a Sun for comprada do que se ela morrer. Eu espero que a IBM feche o negócio.


Fonte: IDGNOW

Nenhum comentário: