domingo, 15 de julho de 2007

OLPC e Intel anunciam acordo conjunto para laptops educacionais


Mais um acordo envolvendo o OLPC e uma grande empresa. Mas porque será que com tanto apoio, o projeto não de cola de vez ?

Mas temos recebido notícias que aonde o OLPC é implantado, a experiência está sendo muito bem sucedida. Um exemplo disso é na Austrália.

http://blog.genyes.com/index.php/2007/07/13/one-to-one-laptops-is-hard-right/

Mas vamos a notícia em questão:

A Intel e a organização One Laptop per Child anunciaram nesta sexta-feira (13/07) que fecharam acordo para explorar o mercado de notebooks educacionais juntas.

Segundo o anúncio divulgado pela fabricante de semicondutores, a Intel fará parte do conselho da organização criada e gerenciada pelo pesquisador Nicholas Negroponte.

"A colaboração com a Intel significa que um número máximo de crianças com laptops será atingido", afirmou Negroponte no anúncio, que não detalhou outros comprometimentos entre as organizações.

"Esta é uma notícia maravilhosa para as crianças da América Latina e de todos os países emergentes do mundo. Ambas as organizações vêm desenvolvendo tecnologias e modelos educacionais para trazer a computação à sala de aula", afirmou Ricardo Carreon, diretor-geral da Intel para América Latina, em seu blog.

Criada no final de 2005 com o objetivo de levar notebooks educacionais a estudantes de países em desenvolvimento, a OLPC teve suporte de empresas como Red Hat, AMD e Google para criar um portátil, chamado de XO, avaliado em 175 dólares.

Quatro meses, em visita ao Brasil, o presidente da Intel, Paul Otellini, apresentou um projeto similar da empresa, chamado inicialmente de Edu-Wise.

O notebook educacional da companhia foi renomeado para ClassMate PC e tem preço inicial sugerido de 400 dólares. A companhia anunciou em dezembro de 2006 a fabricação local dos portáteis pela Positivo e pela CCE.

Ambos os equipamentos, junto ao Mobilis, da indiana Encore, estão sendo consideradas pelo Governo Federal para equiparar alunos do ensino fundamental de colégios públicos brasileiros a partir de 2008.

Fonte: IDGNow

Nenhum comentário: