quinta-feira, 28 de junho de 2007

Blue-Gene/P - O novo brinquedo da IBM


Mais uma vez a IBM se supera e lança a segunda geração supercomputador Blue-Gene.

O novo Blue-Gene/P conta com 73.728 processadores de 4 núcleos cada, rodando a 850MHz.
Façamos uma pequena conta:

73.728 processadores x 4 = 294912 nucleos

E isso gera uma capacidade teórica de processamento de 1 petaflop, podendo ser expandido em 3 vezes, ou seja 3 PETAFLOPS.

A quantidade de zeros quase não cabe na tela: 3.000.000.000.000.000.000.000.000

Ele opera a velocidades que ultrapassam 12 (doze) quatrilhões de operações por segundo (nem sei quantos zeros tem isso) operando com 3 petaflops.
O Blue-Gene/P permite a sistemas científicos e comerciais que necessitam de supercomputadores a atacar problemas vitais, como modelar um órgão humano inteiro para determinar interações com drogas, por exemplo. Pesquisadores de drogas podem rodar testes clínicos simuladores em 27 milhões de pacientes em uma tarde usando apenas uma parte do poder de processamento da máquina.

Especificações do Blue-Gene/P pode ser lidas no endereço:

http://www-03.ibm.com/servers/deepcomputing/bluegene/bgpbenefits.html

E a comparação com a versão anterior, o Blue-Gene/L pode ser lido no endereço:

http://www-03.ibm.com/servers/deepcomputing/bluegene/bgcomparison.html

A alguns anos era impossível chegar a uma velocidades de processamento dessas, pena que só podemos colocar 2GB de memória, o que será um problema com o Windows Vista, já que ele deve comer todo esse processamento e memória para rodar ele com os recursos visuais por completo EHEHEHEH...

Brincadeiras a parte, já há fila de espera para comprar o novo supercomputador mas ninguém na América Latina. O precinho deve ser MUUUUITO camarada.



quinta-feira, 21 de junho de 2007

Microsoft diz corrigir falhas mais rápido que os concorrentes


Depois da piada publicada anteriormente (Não é bug... é feature), a Microsoft solta outra, falando que eles corrigem falhas mais rápido do que qualquer um.

Tá certo que eles tem uma equipe boa para tapar as cagadas que eles fazem, mas até ai, falar que é melhor do que RH, Suse, Apple e etc é um pouco de exagero. Alguém na Microsoft deve estar fazendo curso com o Ary Toledo ou algo do tipo.

E tem outra, não adianta nada corrigir uma falha e abrir mais 10. Cobrir a cabeça e descobrir os pés....

Mas vamos à matéria.

Jeff Jones afirma que a Microsof corrige falhas em menos tempo que os concorrentes. Microsoft seria 156% mais rápida que a Apple.

Jeff Jones, diretor estratégico da Microsoft, afirmou recentemente em seu blog na CSO que a Microsoft responde às falhas no sistema operacional com muito mais velocidade que os concorrentes.

Segundo o post, pela análise dos DoR’s (Days of Risk, dias de risco) - dias entre a descoberta da falha e a publicação de uma correção - pode ser estabelecido um cálculo revelando que o maior tempo de DoR para a Microsoft, incluindo Windows XP, 2000 e Server 2003, foi de 26 dias. Muito melhor que o dos concorrentes como Mac OS X com 48 dias, SuSE Linux Enterprise's 74, Red Hat Enterprise Linux's 107 e Sun Solaris com 168.

Isso mostra que a Microsoft é 156% mais rápida que a Apple para distribuir patches, 255% mais rápida que a Novell e 579% que a Sun.

Alfred Huger, vice-presidente de engenharia do Symantec Security Response Group, afirma que os números de Jones são responsáveis. Contudo, muitos leitores do blog têm dúvidas em relação aos números levantados. Mesmo que as informações sejam um guia, nem todos vão considerar a opinião de Jones.

Em março, o executivo levantou outros dados em relação às correções, mostrando que o Windows Vista merecia um A+ em segurança. Leitores zombaram da informação.

Huger afirma que todos estão perdendo o foco, inclusive Jones. “Mesmo um DoR de 21 ou 20 dias não é o suficiente”. Segundo o especialista, ninguém leva “estrelas douradas” nesse assunto, todos têm de trabalhar muito mais.

Fonte: IDGNow

sexta-feira, 15 de junho de 2007

FSF divulga último esboço e define prazo para versão final da GPLv3

Quarto e último esboço da terceira versão da licença GPL pode ser modificado até final de junho, quando versão final será publicada.

A Fundação do Software Livre (do inglês, FSF) divulgou o quatro e último esboço da terceira versão da sua licença geral para uso público do GNU, definindo um prazo para sua publicação oficial, e explicou razões pelas quais a comunidade deve adotar a GPLv3 em substituição à versão anterior.

Criado por Richard Stallman em 1989 e atualizado pela última vez há 16 anos, a GPL dá aos usuários o direito de estudar, copiar, modificar, reusar, compartilhar e redistribuir livremente softwares.

Além do esboço, a FSF divulgou também um artigo de Richard Stallman enaltecendo os benefícios de atualizar a GPLv2 para a GPLv3.

A nova licença lida com questões que emergiram recentemente, como o acordo de licenciamento de patentes Linux fechado entre Novell e Microsoft em novembro de 2006.

No começo do mês, executivos da Microsoft criaram uma saraivada de protestos da comunidade de código aberto ao afirmar que o Linux infringia 235 de suas patentes.

"A Microsoft fez alguns erros no acordo com a Novell, e a GPLv3 foi feita para voltá-los contra a Microsoft, estendendo a proteção limitada de patentes para toda a comunidade", escreveu Stallman.

"Para se aproveitar disto, programas precisam usar a GPLv3". Distribuidores de software que fazem acordos de patentes discriminatórios após 28 de março não poderão manter negócios que não estejam sob a GPLv3.

A GPLv3 também lida com o que Stallman chama de "tivorização" ou computadores que tenham softwares cobertos pela licença que não podem ser mudados, assim como tecnologias DRM, que a FSF prefere chamar de gerenciamento de restrições digitais.

"Liberdade significa que você controla o que o software faz, não meramente pede ou ameaça alguém para decidir por você", continua Stallman. "A GPLv3 assegura que você é livre para remover as algemas, sem perdoar DRM e outras tecnologias do tipo".

O quarto esboço da GPLv3 traz opiniões recebidas pela FSF do público em geral e comitês de discussão sobre versões anteriores. Uma das principais mudanças está na compatibilidade de licenças entre a GPL e outras de código aberto.

No novo documento, a GPLv3 é totalmente compatível com a versão 2.0 da Apache License, além de suportar a BitTorrent e conter linguagem que a torna mais amigável com o público internacional.

"A segunda versão da GPL se manterá como uma licença válida e não ocorrerá nenhum desastre se os programas forem mantidos sob a GPLv2 enquanto outros avançarem para a GPLv3", escreveu Stallman.

Ambas são incompatíveis, o que não acarretará em problemas, diz Stallman. O FSF entende por incompatibilidade o fato de não haver maneira legal de combinar códigos entre ambas as licenças.

Tal incompatibilidade é problema apenas para quem quiser ligar, juntar ou combinar códigos de programas licenciados com a GPLv2 com outros que usem GPLv3.

O FSF aceitará comentários sobre o quarto esboço da licença por 29 dias e planeja publicar a versão final da GPLv3 no dia 29 de junho.

Fonte: IDGNow


segunda-feira, 11 de junho de 2007

Safari, da Apple, agora no Windows

Não sou muito de colocar notícias relacionadas a programas para windows ou algo do gênero, mas essa é uma notícia que vale a pena ser colocada.

Hoje, durante a Worldwide Developers Conference da Apple, em São Francisco, Steve Jobs anunciou a versão do browser, até então exclusivo do MacOS, para Windows XP e Vista.

E durante a apresentação no WDC, o Safari rodando no Windows foi duas vezes mais rápido que o Internet Explorer.

Fiz o download (clique aqui para fazero download) de 8MB e o navegador rodou suave na minha máquina, infinitamente mais rápido que o IE7 e diria que se igualando a velocidade do Firefox.

Os plugins comuns dos outros navegadores, podem ser baixador nesse site - Site de plugins - e instalados normalmente.

Pessoalmente eu achei que os sites dicaram mais "bonitos" no Safari. Desde a resolução das imagens até as fontos, que ficaram muito mais legíveis do que no Firefox ou no IE.

Clique para ampliar e ver a imagem em tamanho real

Mas como nem tudo são flores, vi muitos problemas com frames e com visualização de algumas fontes/tamanho de fontes. Ele literalmente come pedaços dos sites e os envia para a Terra do Nunca

Site do UOL no Safari:

Clique para ampliar

Site do UOL no Firefox:



Como dizem que a primeira impressão é a que fica, digo a vocês que gostei do que vi. Por ser a primeira versão beta do navegador, ela é bem estável e no geral não deixa a desejar a nenhum navegador. Vamos ver o que a apple nos reserva daqui para frente, mas dificilmente deixarei de usar o Firefox.

Gostaria de ver essa cara rodando nativamente no Linux, já que emulei ele no Crossover e se saiu muito bem apesar da emulação.

Gostei do que vi...

terça-feira, 5 de junho de 2007

Num é bug.....é feature !


HAHAHAHAHAHA essa é a piada do ano !!!!!!!!!!!!

Brecha no IIS 5.0 é parte do projeto, diz MS

A Microsoft publicou um código que explora uma brecha no IIS 5.0 e não apresentou nenhuma solução para o caso. É o que dizem especialistas em segurança.

A brecha no servidor Internet Information Services se apresenta da seguinte forma. As versões 5.x do produto, por padrão, permitem que o usuário siga em frente sem fazer uma autenticação básica. Embora esse comportamento seja planejado, representa uma falha, pois pode permitir que um usuário tenha acesso a documentos sem ter os direitos necessários para isso.

Até o momento, não há registro de sistemas invadidos por esse canal. A Microsoft garante que esse comportamento faz parte do projeto (portanto, não é um bug) e recomenda que os usuários façam o upgrade para a versão 6.0 do IIS, rodando no Windows Server 2003. Essa sugestão, assim como o código para produzir o efeito indesejado estão no artigo 328832 do Knowledge Base da Microsoft.

Caos aéreo...


ÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉÉ !!!

Mais uma vez estou esperando o vôo para Curitiba decolar. O vôo estava previsto para as 7:35, mas até agora (9:00) o avião nem chegou a São Paulo.

Mas por incrivel que pareça, o problema não foi o famoso "Caos Aéreo" dos ultimos tempos e sim problema de nevoeiro em São Paulo.

Para voces terem uma idéia, da sala de embarque da TAM, não conseguia ver o incio da pista.

Vamos ver que horas chegarei no frio de Curitiba... Só espero que não chegue depois do 12:00, pois a fome esta apertando.

E por falar em fome, aposto com voces que irão servir barrinhas de cereal no vôo.

Atualização 20:01

PS: Apenas para constar, o vôo saiu as 11:35 e não serviram barrinhas de cereal e sim um sanduiche muito do safado.

Pensando bem, prefiro as barrinhas de cereal :-D

sábado, 2 de junho de 2007

Postfix + LDAP + Courier +SAMBA = JeguePanel

JeguePanel ?? Você deve estar perguntando: Que raio é isso ?

Uma solução muito inteligente criada por um desenvlvedor Brasileiro chamado Anahuac de Paula Gil.

Instalei ele para testar e realmente o Jegue funciona muito bem e dá uma bela ajuda na criação de um sistema de gerênciamento e criação de contas.

O JeguePanel é um painel para gestão de servidores Gnu/Linux, desenvolvido para facilitar e otimizar o trabalho de administração de rede. Atualmente ele conta com dois módulos: o de gestão de servidores de e-mail e de servidores de rede com Samba.

O módulo de gestão de e-mail utiliza o conjunto Postfix+Courier+LDAP como servidores de STMP, POP/IMAP e base de usuários, respecivamente.

Já o módulo de rede é basicamente o antigo Pagode, renovado e alterado para funcionar tanto com base de usuários em smbpasswd quanto em LDAP.

Com uma interface desenvolvida em PHP, core em Shell Script e um Daemon em perl, ele é simples de instalar e muito poderoso em seus recursos, além de muito simples em sua codificação, permitindo facilmente sua adaptação e expansão.

Um demo do JeguePanel pode ser acessado no endereço: http://demo.jeguepanel.net:8080/jeguepanel/index.php

Download do Jegue

Screenshots do Jegue

Mais uma vez s brasileiros mostram que são capazes de criar uma solução muito prática e simples, mas infelizmente faltam maiores incentivos para o nosso crescimento técnologico.