quinta-feira, 22 de março de 2007

Aonde iremos parar ?


"... ligava o seu capacete de notícias ao circuito de informação da nave e examinava os ultimos comunicados da Terra. Um por um fazia aparecer como por encanto os relatórios eletronicos mais importantes do mundo. Sabia de cor o endereço dos mais importantes, não precisando consultar a lista que tinha na parte de trás da cadeira.

Fazia aparecer a pagina principal e examinava rapidamente os títulos anotando as informações que lhe interessava.As vezes, Floyd perguntava se o capacete e a fantástica tecnologia seria a ultima palavra em comunicação que o homem poderia inventar.

Mesmo afastando-se velozmente da Terra, a milhares de quilometros da Terra, bastavam apenas alguns milisegundos para que o jornal do dia aparecesse na sua tela...

Mais cedo ou mais tarde, pensava Floyd, essa tecnologia acabaria ser substituido por algo tão inacreditavel como o capacete de noticias teria sido para Caxton ou Gutenberg..."


Lendo essas fraser, voces podem pensar: "Isso isso é mais do que comum hoje em dia, a não ser pelas viagens de civis para a Lua."

Mas essas frases foram retirados do livro "2001 - Uma odisséia no espaço ", que assim como o filme, estou me tornando fã. Mas o mais incrivél disso tudo é que o livro e o filme foram escritos em 1968 por Stanley Kubrick e Arthur C. Clarke e é mais incrivél ainda como o homem tem a capacidade de imaginar uma coisa e, mais a frente, no futuro, essa coisa se tormar realidade.

Lendo novamente essa parte do livro, nos levamos a pensar:

"Onde iremos parar com essa nossa tecnologia ?"

Sinceramente, não vejo muita mudança na forma de comunicação existente hoje para as próximas décadas. O século 20 foi o século onde a tecnologia mais se desenvolveu e agora esta, não diria em desaceleração mas sim, em um ritimo em que temos muitas novidades e que não estamos dando conta de tanta inovação ao mesmo tempo.

Mas tenho vontade de fazer igual o pessoal da ISS Enterprise faz em Star Trek, de me teleportar de um canto para o outro, sem pegar trânsito (quem sabe eu viva até lá).

Gostaria de poder ver e viver em uma época em que talvez tenhamos as tão desejadas viagens constantes ao espaço para, por exemplo, trabalhar, passear e etc, como se fizessemos uma ponte aérea Rio - São Paulo.

Em que patamar chegaremos, já que saimos de simples telas pretas com dados sendo inseridos via cartão perfurado e chegamos a computadores em nossas geladeiras, celulares, relógios e etc ?

Só espero que não ocorra como no filme do Kubrick, em que HAL 9000 achou por bem matar todos os integrantes da nave por se sentir ameaçado.

Nenhum comentário: