segunda-feira, 12 de março de 2007

Definindo prioridades


Não existe algo mais frustrante para alguém que trabalha com T.I do que você iniciar um projeto, estar totalmente empolgado com o que você esta fazendo e na hora H, pedem para você esquecer o que esta fazendo ou até mesmo, deixar um pouco de lado para se dedicar a algo totalmente "inútil" para o momento, apenas para satisfazer alguém que sentirá realizado com tal "inutilidade".

Geralmente as prioridades são defenidas em reuniões, mas o que fazer quando se entra em uma reunião em que as prioridades são definidas e é dito:

"A partir de hoje, é para fulando fazer A, Joãoiznho fazer B e não é para fazer mais nada além isso OK ?"

E depois de 30min a mesma pessoa que te falou isso fala:

"Fulano, para o que esta fazendo e vai ver o problema que esta acontecendo com o Ursinho BlauBlau e esquece o que esta fazendo até resolver isso que ele está pedindo"

E um caso clássico disso é um servidor de OpenLDAP que estavamos terminando, faltando apelas implantar nos servidores e já partindo para estudo em integração com servidor FreeRadius, mas pediram para parar tudo e ver chamados de outra área porque não estavam dando conta.

E o que mais dá raiva é que na reunião seguinte, existe uma cobrança daquele projeto que você deixou de fazer porque estava atendendo ao pedido do Ursinho.

E o pior é que as reuniões são iguais. Se discutem as mesmas coisas, falam das mesmas coisas e nunca resolve nada. E por quê ? Como um amigo meu diz:

"Reunião sem ATA e sem foco, não adianta de porcaria nenhuma. Não ten nada documentado, então nada é cumprido"

Um comentário:

Bel disse...

Como diria você mesmo: "Manda quem pode e obedece quem tem juizo" hehehe